Postagens populares

Enfermagem Humanizada

Loading...

terça-feira, 20 de outubro de 2015


Refluxo:

O refluxo ocorre quando os ácidos presentes dentro do estômago voltam pelo esôfago ao invés de seguir o fluxo normal da digestão,assim irritando os tecidos que revestem o esôfago,geralmente ocorre quando o esfíncter inferior não fecha corretamente.Há alguns fatores que aumentam a probabilidade do surgimento de tal patologia,são eles:Obesidade,gravidez,hérnia de hiato,tabagismo,ressecamento bucal,asma,diabetes,atraso no esvaziamento do estômago.
A alimentação também contribui para o surgimento do refluxo,alimentos como:chocolate,pimenta,frituras,café e bebidas alcoólicas,ou seja devem ser consumidos moderadamente.
Do ponto de vista sintomatológico nos deparamos com:azia,dor no peito,dificuldade para engolir,tosse seca,rouquidão,dor de garganta,regurgitação e refluxo de suco gástrico,inchaço na garganta,náusea após refeições.
Uma pessoa que possui refluxo costuma ter a sensação de que o alimento pode ter ficado preso na garganta e pode sentir os sinais da doença aumentar ao se curvar, inclinar para a frente, ficar deitado ou comer,geralmente os sintomas mostram-se mais notáveis à noite e podem ser aliviados com antiácidos.
O diagnóstico é realizado com o acompanhamento médico através de raio-x da parte superior do sistema digestivo,endoscopia,entre outros exames auxiliares,enquanto o tratamento dá-se através de terapias alternativas,uso de antiácidos (Omeprazol, Bromoprida)...caso não seja tratado pode evoluir para o surgimento de úlceras,adenocarcinoma, broncoespasmo, tosse ou rouquidão crônica,problemas dentais,inflamação do esôfago.
Os médicos costumam recomendar aos pacientes possuir uma alimentação saudável,evitar o uso de roupas apertadas,evitar consumo de bebidas e alimentos que contribuam com o refluxo,alimentar-se em porções menores,comer devagar,não se deitar após as refeições,dormir com a cabeça mais elevada em relação ao corpo,beber muita água,reduzir o estresse.

Fonte: O Corpo Humano
Tomografia com destaque em feto de 9 meses.


Fonte: O Corpo Humano