Postagens populares

Enfermagem Humanizada

Loading...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Anatomia Humana

Uma viagem pelo corpo humano, desvendando os seus mistérios. Esse é o convite do Curso de Férias " Anatomia Humana" do curso CECON aos estudantes da área de saúde. A iniciativa, coordenada pelos Enfermeiros/ Professores: Ana Paula Moreira Campos, Soraya Botti e Wagner Aragão, tem por objetivo mostrar e  complementar o conhecimento adquirido em sala de aula. 

"A essência do conhecimento consiste em aplicá-lo, uma vez possuído."
Confúcio

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Tome Nota...

VAGAS PARA ATENDIMENTO NA UFMG – URGENTÍSSIMO
 
A Dra. Luciana Cini, está colocando à disposição vagas para tratamento de câncer.Se souber de alguém que necessite deste tipo de tratamento é só ligar para ela.
 
Amigos, estar doente, já é horrível. Imagine estar com Câncer Gástrico e não ter convênio ou meios para realizar o tratamento.
 
Por amor, repassem esta mensagem. Dispomos de 15 vagas para pacientes com Câncer de estômago, esôfago, duodeno e intestino.
 
Tratamento completo, na Gastrooncologia, com Dr. Fonseca, diretor da Oncologia do Hospital Heliópolis, aluno do Hospital do Câncer.
 
Não há fila de espera.
 
Dra. Luciana Cini
(11) 9563 5430  (11) 9563 5430
(11) 4975 2309  (11) 4975 2309
 

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Curso de Terapia Intravenosa


Curso de Extensão Curricular


Curso de Extensão Curricular - Procedimentos Hospitalares

Investimento para o Curso:
60 reais (30 reais no ato da matricula e 30 reais ao termino do curso).

Informações
.CECON
Rua Santo Antônio, 382 – Centro – Telefone:            (32)3212-6686      .
Inscrições com os próprios professores
. Ana Paula Moreira Campos
            (32)88440437      
. Soraya Botti
            (32)91059933      


Carga Horária: 30 horas

Turmas Disponíveis: Aos Sábados (8:00 ás 18:00).

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Diretrizes para Rastreamento de CA de Colo de Útero, FONTE INCA

Novas Diretrizes para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero no Brasil serão lançadas nesta segunda, 4/7

01/07/2011 - Em conjunto com outros órgãos do Ministério da Saúde, além da Universidade Federal do RJ de sociedades médicas, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) vai lançar, na próxima segunda-feira, dia 04, as novas diretrizes para o rastreamento do câncer de colo do útero no Brasil. O documento será divulgado, durante o 14º Congresso Mundial de Patologia Cervical e Colposcopia, no Rio de Janeiro e se destaca por ampliar a faixa etária da população a ser submetida ao exame preventivo, que antes era dos 25 aos 59 anos, até os 64 anos de idade.

O método de rastreamento do câncer do colo do útero e de suas lesões precursoras é o exame de Papanicolaou, popularmente conhecido como preventivo. O procedimento identifica lesões que antecedem o câncer, permitindo o tratamento antes que a doença se desenvolva. As novas diretrizes recomendam que o intervalo entre os exames deverá ser de três anos, após dois exames negativos, com intervalo anual.

A coleta de material deverá ser feita a partir dos 25anos de idade. Os exames preventivos devem seguir até os 64 anos e serem interrompidos quando, após essa idade, as mulheres tiverem pelo menos dois exames negativos consecutivos, nos últimos cinco anos. Nos caso das mulheres, com mais de 64 anos e que nunca realizaram o exame, devem ser feitos dois preventivos com intervalo de um a três anos. Se os dois resultados forem negativos, essas mulheres poderão ser dispensadas de exames adicionais. Segundo a ginecologista Flávia de Miranda Corrêa, técnica da divisão de Apoio à Rede de Atenção Oncológica do INCA, a ampliação da faixa etária para o rastreamento do câncer do colo do útero, segue a tendência internacional relacionada ao aumento da longevidade. Hoje as brasileiras têm expectativa de vida até os 76 anos.

O câncer do colo do útero é o segundo tumor mais frequente na população feminina, atrás apenas do câncer de mama. Também é a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Por ano, faz 4.800 vítimas fatais e apresenta 18.430 novos casos, conforme as estimativas de câncer do INCA. Diante desse quadro, o INCA em parceria com o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IGUFRJ), da Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia (ABPTGIC) e da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) produziram a elaboração das novas diretrizes para o rastreamento do câncer de colo do útero no país. O texto foi disponibilizado para Consulta Pública no período de 21 de fevereiro a 23 de março de 2011 e, logo após a incorporação das contribuições dadas pelos profissionais de saúde, foi realizada a revisão final para o lançamento das novas diretrizes.

As novas diretrizes fazem parte do Plano Nacional de Fortalecimento das Ações de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer do Colo de Útero, do Ministério da Saúde, lançado pela presidenta Dilma Rousseff, no último mês de março. O plano prevê, ainda, um programa de capacitação de ginecologistas para padronizar o diagnóstico de acordo com as novas diretrizes. No país, o Acre já iniciou a qualificação dos profissionais e outros 13 estados iniciam a criação de centros regionais de qualificação dos profissionais.

Serviço: 
Lançamento das novas diretrizes para o rastreamento do câncer de colo do útero no Brasil
Local: Av. Sernambetiba, 2.630 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - Hotel Windsor
Dia: 4 de julho
Horário: 18h30

Processo Seletivo - INCA, FONTE INCA

INCA abre processo seletivo para cursos de atualização

20/06/2011 - Em agosto terão início diversos cursos de atualização para os quais o INCA abre inscrições a partir de 20 de junho. Os próximos cursos são: Asssistência de Enfermagem em Quimioterapia (de 15 a 18/08); Atuação do Enfermeiro na Obtenção das Células-Tronco Hematopoéticas no Sangue de Cordão Umbilical (24 a 26 de agosto); Braquiterapia de Alta Tasa de Dosis para Físicos: Fundamentos, Calibración y Control de Calidad (de 8/08 a 6/09); O Elétron na Radioterapia (8/08 a 7/10); Aperfeiçoamento em Fisioterapia em Tumores do Tecido Ósseo e Conectivo (15/08 a 31/10) e Braquiterapia de Alta Taxa de Dose para Físicos (8/08 a 6/09).

Estágio Curricular Supervisionado - Fonte Coren MG

Estágio Curricular Supervisionado
Parecer 007/2011 CTEP/COFEN - sobre a responsabilidade da supervisão no estágio curricular
O Cofen, atendendo a solicitação do Coren-MG relativo a Estágio Curricular Supervisionado, na modalidade de supervisão à distância por parte das Instituições de Ensino expediu o Parecer 007/2011 CTEP/COFEN, que reitera o art. 3º da Resolução Cofen nº 371/2010, ou seja; "na ausência do professor orientador da instituição de ensino, é vedado ao Enfermeiro exercer, simultaneamente, a função de supervisor de estágios e as atividades assistenciais e/ou administrativas para as quais estiver designado naquele serviço."

A conclusão do referido Parecer da CTEP/Cofen concluiu: "Diante do exposto, fica evidente que a supervisão de estágio curricular supervisionado é direta e de responsabilidade de supervisor de estágio da Instituição de Ensino, com a participação do enfermeiro do serviço, conforme pactuação estabelecida entre as instituições de ensino e de serviço."

Ressaltaram também: "que a orientação das instituições de ensino é de competência da SESu/MEC e no que se refere as Instituições cedentes de Campo de Estágio compete ao Sistema Cofen/ Conselhos Regionais de Enfermagem obedecendo a Resolução Cofen 371/2010."

"A alegria compartilhada é uma alegria dobrada."





Para especialistas em humanização hospitalar, a mudança no ambiente traz benefícios como a redução do tempo de internação e melhora do bem-estar geral dos pacientes e funcionários. Como conseqüência, o hospital também reduz seus gastos.
Oferecer aos pacientes internos nos hospitais, a oportunidade de serem visitados por um recreador hospitalar, proporcionando momentos de descontração, alegria e esperança.
Saber encontrar a alegria na alegria dos outros é o segredo para tudo na vida, inclusive a possibilidade de amenizar uma doença.  Diagnosticar doenças é "fácil" o difícil  é diagnosticar a tristeza que emana o doente, por isso HUMANIZAR o ambiente hospitalar é necessário, pois, assim estaremos contribuindo para a melhoria de VIDA dos nossos pacientes, já que ALEGRIA faz parte do bem-estar do ser humano.



"A alegria compartilhada é uma alegria dobrada." (John Ray)

sábado, 2 de julho de 2011

PARALISAÇÃO NACIONAL DA ENFERMAGEM DIA 05 DE AGOSTO DE 2011 .

Informações básicas sobre Paralisação Nacional Paralisação Nacional da
Enfermagem - 05 de Agosto de 2011 - Dia Nacional da Saúde

Muito se ouve, muito se vê, mas pouco se faz! Você - parteira,
auxiliar, técnico(a) em enfermagem, Enfermeira(o) - alguma vez sentiu
que é injustiçado profissionalmente? Está satisfeito com o seu
salário? E com as condições do seu trabalho? E a sua carga horária de
trabalho? Está feliz com o tempo que tem para dedicar a sua família?
Com a quantidade de vínculos empregatícios que é obrigado a ter para
conseguir viver dignamente? ...E a diferenciação a que muitas vezes a
nossa classe é submetida, diante da classe médica? Isto incomoda você?

Por que será que os médicos conseguem altos salários, privilégios no
tratamento e a Enfermagem é cada mais marginalizada? Sem a nossa
força, a Saúde caminharia para o Caos, não é mesmo? Sem a nossa força
de trabalho, o que seria dos hospitais, clínicas, USF, home care's?

Se você também acredita que a Enfermagem é uma classe desunida? Passe
a mudar essa atitude dentro de você, pois você faz parte de uma
categoria totalmente especial e insubstituível, mas que precisa de
você e do seu colega ao lado junto a você, junto a nós, para
começarmos a mudar essa realidade.

A verdade é que os empregadores se aproveitam dessa fama da Enfermagem
para acreditar que jamais seremos capazes de realizar um movimento
devidamente forte, em prol de nossa classe, na defesa dos nossos
interesses e realizemos uma paralisação nacional em busca de melhores
condições de trabalho, menor carga horária de trabalho e um piso
salarial que atenda as nossas necessidades.

Você já se deu conta da especialidade do nosso serviço? Nem todos tem
a nossa vocação. Pessoas da Enfermagem - lidamos com a dor, com o
sofrimento, com dejetos, feridas e com a Morte, ajudamos a salvar
vidas - o bem mais precioso, o tesouro mais rico das pessoas.
Precisamos de espaço para cuidar de nós mesmos, para cuidar de nossas
mentes já que o trabalho é de grande demanda emocional. Mas se você
precisa ter 02 ou 03 vínculos para sentir que ganha o suficiente para
viver, tudo isso ficará impossível, não acha?

Faça parte desse movimento, junte-se a nós - JUNTOS SOMOS MUITOS E
MUITO PODEMOS - 05 de Agosto de 2011 - A ENFERMAGEM DO BRASIL VAI
PARAR POR 24 h.

 AJUDE A DIVULGAR E FORTALECER ESSE MOVIMENTO! ESTADOS DO BRSIL, CRIEM
SEUS NÚCLEOS DE MANIFESTOS!

 NOSSA CAUSA É JUSTA E PELA VIDA!

 REPASSEM PARA SEUS CONTATOS!!!!!!



Wagner Aragãoe-mail: aragaowagner@hotmail.com

quarta-feira, 29 de junho de 2011

O crescimento da obesidade infantil em nosso país tem crescido assustadamente, pois nos últimos 20 anos teve um aumento de cinco vezes. E esse é um problema que muitas vezes passa despercebido pelos pais, o que não deveria acontecer já que as conseqüências da obesidade em crianças são consideradas bem graves, como problemas cardiovasculares, diabetes, além do aumento dos níveis de triglicérides e colesterol. Uma pesquisa realizada pela Sociedade de Pediatria de São Paulo concluiu que a obesidade infantil já atinge cerca de 10% das crianças brasileiras. De acordo com nutricionistas a obesidade de crianças deve ser tratada seriamente, já que esse problema pode trazer muitos problemas para a sua saúde e também problemas psicológicos. Mas, ainda os profissionais da área dizem que o melhor caminho a seguir é a prevenção da obesidade, para isso a criança deve ter uma alimentação saudável e equilibrada, consumindo ao menos um alimento de cada grupo em cada refeição. Esses grupos são: Reguladores, que seriam frutas, legumes e verduras. Eles são fontes de vitaminas, minerais e fibras. Outro grupo seriam os energéticos: cereais, pão, macarrão, batata, mandioca, farinhas, etc. Fontes de carboidratos, esses alimentos energia ao organismo. E ultimo grupo seriam os construtores: carnes de vaca e frango, peixes, ovos, leite e seus derivados e também as leguminosas como feijão, ervilha, lentilha, grão de bico, soja e outros. Esses são ricos em proteínas, cálcio e ferro.
Então é isso, papais de todo o Brasil, estejam atentos a alimentação de seus filhos e percebendo alguma alteração no peso deles corram a uma nutricionista o quanto mais rápido para solucionar o problema.



BOA TARDE! Procure o que há de bom em tudo e em todos. Não faça dos defeitos uma distância, e sim, uma aproximação. Aceite! A vida, as pessoas, faça delas a sua razão de viver. Entenda! Entenda as pessoas que pensam diferente de você, não as reprove. Ei! Olhe... Olhe a sua volta, quantos amigos...Você já tornou alguém feliz hoje? Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo? Ei! Não corra. Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você. Sonhe! Mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonhe em fuga. Acredite! Espere! Sempre haverá uma saída, sempre brilhará uma estrela. Chore! Lute! Faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você. Ei! Ouça... Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante. Suba... faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo, Mas não esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da vida. Ei! Descubra! Descubra aquilo que há de bom dentro de você. Procure acima de tudo ser gente, eu também vou tentar. Ei! Você... não vá embora. Eu preciso dizer-lhe que... te adoro, simplesmente porque você existe. Tenha uma linda e abençoada semana!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Curso de Terapia Intravenosa
Local: CECON - Juiz de Fora/MG
Contato: (32)88440437
Inscrições: até a data do início do Curso 09/07/2011.
Objetivo: Capacitar e oferecer conhecimento técnico e teórico aos participantes do curso sobre os princípios, técnicas e cuidados. Curso com fornecimento de certificado.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Exames da Mulher

É comprovado que as mulheres vivem mais do que os homens, porque se preocupam mais em cuidar da própria saúde. Aqui no Brasil, segundo o IBGE, elas vivem em média sete anos a mais do que eles.
Essa vantagem, é claro, depende de uma boa manutenção do organismo, com alimentação equilibrada, exercícios físicos e visitas periódicas ao médico para a realização de um check-up completo. O objetivo é prevenir doenças antes que elas apareçam, manter o corpo saudável e garantir uma boa qualidade de vida ao longo dos anos.
Foto: Getty Images/Photodisc
Exames periódicos garantem a saúde no futuro
De acordo com o médico Joel Garcez, ginecologista do Hospital Santa Cruz, em Curitiba, os primeiros exames devem ser feitos a partir do início da vida sexual. “É importante começar desde cedo a vigilância sobre doenças como a infecção pelo vírus HPV, que está relacionado à incidência do câncer de colo de útero, e sobre o câncer de mama. Quanto mais cedo eles foram detectados, maior a chance de cura. Com o passar da idade, vão sendo feitos outros exames conforme a necessidade”, orienta.
Mas os exames femininos não se resumem apenas aos ginecológicos. “O check-up vai além deles. O ideal é consultar também um clínico geral ou um cardiologista para exames complementares como hemograma, glicemia, colesterol, triglicérides, ácido úrico e urina”, sublinha Edilson da Costa Ogeda, ginecologista do Hospital Samaritano, de São Paulo. Como cada pessoa tem um organismo diferente, é fundamental que o médico faça uma avaliação completa antes de pedir os exames.
“É necessário investigar com atenção alguns antecedentes pessoais e familiares, estilo de vida, hábitos alimentares, trabalho, tabagismo e obesidade. Portanto, o check-up deve ser uma ferramenta individualizada de prevenção de doenças”, ressalta o clínico geral Marcelo London, chefe do Setor de Emergência do Hospital Copa D’Or, no Rio de Janeiro. Segundo ele, além do câncer ginecológico, o check-up regular serve também como prevenção de doenças cardiovasculares e diabetes, que apresentam alta prevalência na população.
Casos especiais
Para quem não tem essas doenças na família, o check-up deve ser feito a cada seis meses ou a cada ano, dependendo da idade e dos resultados dos exames. Já quem tem histórico familiar de doenças como câncer, osteoporose e problemas cardiovasculares precisa fazer o check-up com mais freqüência, de acordo com a determinação do médico.
“Em mulheres sem histórico de câncer de mama, indica-se a mamografia a partir dos 35 anos. Já para as que tiveram parente direto (mãe) com a doença, é preciso começar aos 30 e repeti-la a cada ano”, diz o especialista do Copa D’Or.
Como a osteoporose é bastante comum em mulheres acima de 50 anos, o exame de densitometria óssea precisa ser feito a partir dos 40. “A freqüência da avaliação vai ser determinada pelos resultados de cada exame”, diz o Dr. Edilson. Já as mulheres com histórico familiar de infarto, angina, diabetes e hipertensão têm chances aumentadas de desenvolver essas doenças e necessitam de avaliações anuais. “Deve ser dada atenção especial nestes casos se a mulher for fumante”, completa.
Em cada fase, cuidados específicos
Nunca é tarde para transformar o check-up em um cuidado de saúde. Porém, quanto mais cedo ele for feito, maiores são as chances de mantê-la em dia. Veja os exames pedidos pelos médicos em cada faixa de idade:

Da primeira menstruação até os 30 anos
Mesmo que não tenha iniciado a vida sexual, mas já tenha menstruado, a mulher pertencente a essa faixa etária precisa ir ao ginecologista todo ano para fazer alguns exames de rotina. São eles:
Exame das mamas – para a detecção de nódulos mamários e prevenção do câncer de mama.
Papanicolau e exame pélvico – indicados para a prevenção do câncer do colo de útero.
Exames de sangue – para avaliação clínica dos níveis de glicose, colesterol e triglicerídeos, função renal e hormônios tireoideanos. Verificam doenças como diabetes, hipertensão, problemas cardíacos e da tireóide.
Periodicidade: anual

A partir dos 30 anosNessa fase, além de manter o check-up regular, a mulher deve ter cuidado especial com o sistema reprodutivo, pois aumentam as incidências de câncer de mama e de colo do útero. São repetidos os exames feitos na faixa dos 20 anos, mas novos testes são adicionados:
Mamografia – indicado após os 35 anos. Quem tem histórico familiar de câncer de mama deve começar aos 30.
Radiografia de tórax – indicada para pacientes fumantes.
Periodicidade: anual

A partir dos 40 anos
Começa a preocupação com a menopausa e com a osteoporose. Além dos exames indicados para os 20 e 30 anos, é preciso fazer:
Densitometria óssea – detecta a osteoporose. Precisa ser repetido anualmente se já houver algum grau de perda de massa óssea e a cada dois anos para aquelas com exame normal.
Testes de perfil hormonal – são indicados para mulheres que estão iniciando o climatério, irregularidade menstrual que antecede à menopausa.
Ecografia pélvica e transvaginal – avaliam os ovários e verificam a presença de cistos, endometriose, pólipos ou miomas.
Exame proctológico – nesta faixa de idade também se observa uma maior incidência de câncer de intestino, daí a necessidade de realização do exame, especialmente em quem tem histórico familiar da doença.
Periodicidade: anual (pode ser reduzida de acordo com os resultados ou sob orientação médica)

A partir dos 50 anos
Os cuidados precisam ser redobrados nessa faixa de idade. Além dos exames anteriormente citados, é preciso checar a presença de diabetes, hipertensão arterial e osteoporose, muito comuns a partir dos 50. O controle do peso passa a ser uma questão médica, para evitar complicações. Como prevenção, é preciso fazer:
Exames de sangue – verificam o colesterol completo e a glicemia para detectar o surgimento do diabetes (duas vezes por ano).
Exame de fundo de olho – avalia o grau de comprometimento das artérias e lesões provocadas pelo diabetes e pela hipertensão arterial.
Densitometria óssea – nessa faixa de idade, é bom procurar um reumatologista para fazer o acompanhamento da osteoporose. O exame precisa ser feito com mais freqüência.
Periodicidade: semestral ou anual (dependendo dos resultados e do estado de saúde)

Fontes: Edilson da Costa Ogeda, ginecologista do Hospital Samaritano (São Paulo); Joel Garcez, ginecologista do Hospital Santa Cruz (Curitiba) e Marcelo London, clínico geral e chefe do Setor de Emergência do Hospital Copa D’Or, (Rio de Janeiro)/http://delas.ig.com.br