Postagens populares

Enfermagem Humanizada

Loading...

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Exames



Alterações têm que ser confrontadas ainda com estado geral do paciente para se chegar a um diagnóstico mais completo pelo médico

• Colesterol total

Material: sangue

Objetivo do exame: Avaliação do risco aterogénico. O risco de contrair doença cardíaca coronariana, aumenta paralelamente ao aumento do colesterol total. Para obter índices indicativos de risco é necessário definir um perfil lipídico, com os valores de colesterol total, LDL colesterol, HDL colesterol e triglicérides.Confiabilidade do exame: Altamente confiável.Tempo gasto para realização do exame: 15 minutos.Preparação do paciente: Jejum de 12 horas. Não consumir, antes do exame, drogas que estejam relacionadas ao aumento do colesterol como, por exemplo: ACTH, esteróides anabólicos, corticoesteroides e anticoncepcionais orais.Tempo necessário para obter os resultados: Entre 24 e 48 horas após a realização do estudo.Valores normais:Valor desejado: <200 mg / dl.

• Glicemia de Jejum 

Objetivo: é o exame mais comum para medir o nível de glicose no sangue.

Material: sangue

Tempo gasto: 15 minutos.

Valores normais:  70 até 110 mg/dl. Se o resultado ficar em torno de 110 a 125 mg/dl, o indivíduo é portador de glicemia em jejum inapropriada. Assim, torna-se necessário à realização do exame conhecido como "Teste Oral de Tolerância à Glicose". Ocorrendo um resultado igual ou acima de 126 mg/dl, em pelo menos dois exames consecutivos, fica então confirmado o diagnostico de Diabetes Mellitus.

•Triglicérides

Material: sangue

Tempo gasto para obter os resultados: 5 a 8 minutos.

Finalidade: determinar o excesso de gordura no sangue. Identificar o tipo de alteração do metabolismo dessas gorduras. Determinar risco de patologia coronariana. Geralmente é avaliado conjuntamente com o colesterol.

Preparação prévia: Jejum de pelo menos 12 horas. Evitar a ingestão de álcool, pelo menos 24 horas antes do exame.

Resultados:

Valores normais máximos: Variam segundo a idade.

0 a 9 anos - 140 mg/dl30 a 39 anos - 150 mg/dl40 a 49 anos - 160 mg/dl50 a 59 anos - 190 mg/dl

Tempo necessário para obter resultados: alguns minutos de trabalho no laboratório.

Confiabilidade dos resultados: boa.

•Tiroxina (T4) 

Material: sangue

Tempo gasto para obter os resultados: 5 a 10 minutos.

Finalidade: avaliar a função tireoideana, ajudar na confirmação do diagnóstico do hipotireoidismo e hipertireoidismo.

Preparação prévia: não é necessária.

Resultados:

Valores normais: T4: 5 a 13,5 microgramos / dl.

Tempo necessário para obter os resultados: aproximadamente 2 dias.

Confiabilidade dos resultados: boa.

•Papanicolau (citologia vaginal) 

Objetivos do exame: este teste detecta 95% dos cânceres cervicais.

Material a ser analisado

Realizado durante o exame ginecológico. Usando uma espátula de madeira, uma escovinha ou uma esponja de algodão, o médico raspa a superfície do colo do útero, para obter células, e também consegue amostras de dentro do canal cervical, introduzindo um tipo de cotonete longo. Confiabilidade do exame: altamente confiável

Valores

Um resultado negativo significa que o colo é normal.

Um resultado positivo significa que aparecem células anormais. Deve-se realizar uma avaliação mais profunda.

Boa nutrição e exercícios são aliados

A frequência de idas ao consultório depende de vários fatores a serem observados pelos médicos. Quando existe um histórico familiar de diabetes, cardiopatias ou de hipertensão, dependendo ainda dos hábitos do paciente, é provável que se indique novas avaliações a cada seis ou até três meses. Mas quando não existe sinal de sobrepeso, mas com casos dessas doenças na família, pode-se fazer acompanhamento com prazos bem mais elásticos.

O endocrinologista Josivan Gomes afirma que apesar de haver uma maior abertura para alimentação mais saudável hoje em dia, mesmo com uma parcela considerável de preferência de muitos por fast food e comidas regionais gordurosas, o maior problema enfrentado ainda é o sedentarismo.

Hoje em dia, principalmente para os nordestinos que não tinham muito acesso a leguminosas e grãos que favorecem às taxas, as opções postas em feiras e supermercados são muitas. O próprio acesso a nutricionistas também aumentou, principalmente com a adesão de planos de saúde e de programas governamentais voltados para a população de baixa renda. Um ponto a favor para quem está preocupado com a saúde.

Mas a vida sedentária de quem trabalha muito tempo sentado e se sente esgotado para enfrentar uma caminhada que seja, eleva o índice dessas doenças e preocupa cada vez mais os médicos. Isso sem contar a parcela dos adolescentes que não gostam de se exercitar.

O sedentarismo é ruim para todas as pessoas. Os exercícios físicos aeróbicos, aqueles de longa duração e com baixa intensidade, como andar de bicicleta, correr, nadar ou caminhar aceleram o funcionamento do corpo inteiro, que, para obter energia, consome a gordura que está sobrando.

Além do cuidado com a alimentação e praticar uma caminhada, que seja, obedecendo as orientações de 150 minutos por semana e sendo dividido em, no mínimo, três vezes por semana, fazer exames de sangue são fundamentais.

A taxa de glicose vai observar os níveis de açúcar no sangue para saber se estão dentro de parâmetros saudáveis, fornecendo, desta forma, dados para investigação, diagnóstico e monitoramento da hiperglicemia (glicose elevada no sangue), hipoglicemia (glicose diminuída no sangue), diabetes e pré-diabetes.

A observação do colesterol avalia o risco de mudanças nas artérias. O colesterol é necessário ao organismo, mas em excesso, prejudica as artérias com formação de placas de gorduras nas paredes internas.  O risco de contrair doença cardíaca coronariana, aumenta paralelamente ao aumento do colesterol total. Para obter índices indicativos de risco é necessário definir um perfil lipídico - de gorduras -, com os valores de colesterol total, LDL - colesterol ruim -, HDL - colesterol bom - e triglicérides. O índice baixo do colesterol bom associado ao aumento do triglicérides pode significar risco de infarto.

Rosa Lúcia Andrade - repórter
Fonte: Enfermagem Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário